7 Mitos em que você não deveria acreditar
Treinamento

7 Mitos em que você não deveria acreditar

Correr com o tempo gerou vários mitos e equívocos populares. Aqui estão 7 em que você não deve acreditar.

Correr com o tempo gerou vários mitos e equívocos populares. Aqui estão 7 em que você não deve acreditar.

Correr gerou, com o tempo, vários mitos e equívocos populares. Do alongamento pré-corrida ao carregamento de carboidratos de curto prazo, aqui estão alguns mitos de corrida comuns que você deve ignorar.

1. Você deve se alongar antes de uma corrida

O alongamento estático geralmente não é considerado a melhor maneira de se preparar para uma corrida e pode afetar seu desempenho e aumentar o risco de lesões. Alongar os músculos frios (parecido com um elástico velho que você pode encontrar no armário) pode forçar e causar danos. Em vez de alongamento estático, faça alguma atividade cardiovascular suave como aquecimento, como caminhar ou correr lentamente. Isso aquecerá os músculos de forma mais eficaz e segura do que os alongamentos estáticos.

2. Pular o treinamento é sempre uma coisa ruim

Pular um ou dois dias de treinamento não é o desastre que você pode pensar, e certamente não há necessidade de pânico. Na verdade, tirar alguns dias de folga pode ser apenas o que seu corpo precisa, afinal o descanso é considerado um elemento de treinamento de vital importância. É durante a fase de recuperação que seus músculos se adaptam e se fortalecem. Depois de ter feito o trabalho árduo e alcançado um certo nível de preparação, a sua forma pode ser facilmente mantida, o que significa um dia extra de descanso aqui e ali não vai ser uma coisa ruim. Às vezes, apenas ouvir seu corpo pode ser a melhor maneira de decidir se deve correr ou não.

3. Correr faz mal para as suas articulações

É comum dizer que correr é ruim para as articulações. Sim, os corredores podem sofrer lesões nas articulações, mas a pesquisa descobriu que correr realmente reduz o risco de osteoartrite a longo prazo. A pesquisa realizada por Benjamin Ebert, MD, sugeriu que o corpo se adapta ao impacto da corrida e é essa adaptação dos músculos e articulações que realmente ajuda a retardar ou prevenir o aparecimento da osteoartrite.

4. Tênis de corrida só precisam ser usados

Embora sempre lhe digamos para calçar os tênis de corrida antes de usá-los em uma corrida, isso não mudará o verdadeiro conforto de longo prazo dos tênis. Se você está experimentando um tênis de corrida em uma loja e ele se sente desconfortável, é muito provável que permaneça desconfortável, e não se trata apenas de "arrombá-lo". Os sapatos certos para você devem ser confortáveis ​​imediatamente.

5. Apenas se concentre em correr

Correr pode muito bem ser sua paixão, mas não deve ser a base de todo o seu regime de condicionamento físico. Para tentar permanecer livre de lesões e se tornar um atleta mais completo, adicionar um pouco de treinamento de força à sua rotina ajudará. Além do treinamento de força, você também pode introduzir outras formas de exercícios cardiovasculares, como natação, ciclismo e pular para misturar um pouco.

6. Carbo-loading é essencial

O carregamento do Carbo tem limites e não precisa se limitar a encher a cara na noite anterior à corrida.

A menos que você esteja fazendo uma meia maratona ou mais, a carga de carboidratos não é necessária. Uma pesquisa publicada no Jornal Europeu de Fisiologia Aplicada e Fisiologia Ocupacional sugere que a melhor maneira de se abastecer de carboidratos é integrá-los à dieta diária durante algumas semanas. Isso significa aumentar gradualmente a quantidade diária de carboidratos que você ingere nas semanas que antecedem a corrida, em vez de apenas se empanturrar com eles na noite anterior.

7. Todos podem correr uma maratona

Costuma-se dizer que qualquer um pode correr uma maratona e, embora seja verdade que a maioria das pessoas seria capaz de contornar (possivelmente combinado com alguma caminhada), correr uma em um tempo respeitável pode estar além da capacidade de algumas pessoas, não importa o quanto elas treinar, por causa de sua composição genética. Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Loughborough descobriu que cerca de um quinto das pessoas não tem a mistura genética certa para treinar com eficácia para uma maratona. Pessoas nesta categoria tiveram problemas com o treinamento devido à incapacidade de seus músculos de extrair oxigênio com eficácia.